Polêmica na Câmara de Campo Belo/MG

Comissão será instaurada para averiguar a veracidade de notas pagas por Rosângela Kasaca (PSDB)
De acordo com o Presidente, há um "ponto de interrogação" em 3 notas pagas por sua antecessora. Rosângela teria arcado com compromissos dos ex-presidentes Hélio Donizetti Mendes (PSB) e Fátima Salume Mati (PT). Por isso a comissão de inquérito para averiguar a atitude da gestora.
Por: Kelly Cristina
Rosângela Sousa de Oliveira iniciou 2015 sendo acusada de supostas irregularidades em seu curto mandato na Câmara Municipal de Campo Belo/MG. Embora tenha ficado apenas 2 meses no cargo como Coordenadora de Despesas, alguns pagamentos efetuados pela legisladora têm causado polêmica. Luiz Libério dos Santos (PSC), atual presidente da Casa, declarou que ao assumir o cargo deparou-se com três notas questionáveis pagas pela antecessora no fim de 2014 para fechar o caixa. As notas se referem à supermercado, prestação de serviços eletrônicos e papelaria (em torno de R$ 1.200 à R$ 1.300, cada). De acordo com ele, as dívidas em questão não teriam sido contraídas por Rosângela, e sim, pelo vereador Hélio Donizetti Mendes (PSB). Luiz Libério ainda confirmou que a colega também pagou dívidas contraídas por Fátima Salume (PT) que foi obrigada a deixar o cargo por ordem judicial que anulou sua eleição.
Foi neste intervalo que Rosângela Kasaca assumiu o comando, pois ela era Secretária da antiga mesa composta em 2013. Pela Lei Orgânica e Regimento Interno o cargo era dela. Luiz Libério acredita que Kasaca não o fez por má fé, apenas assumiu compromissos do ex-presidente Hélio Donizetti que não foram pagos por Fátima Salume e depois foi retirada do cargo por ordem judicial e obrigada a entregá-lo à Rosângela.
Luiz declarou ainda que diante dos fatos um procedimento mais rígido deverá ser tomado. "Pelo questionamento público em relação à veracidade dessas notas, instauraremos uma comissão de inquérito para apurar o caso na forma da lei," assegurou o chefe do Legislativo.
O departamento jurídico da casa está montando um requerimento que deve ser assinado por 5 vereadores, e criada a Comissão. "A comissão terá como função investigar se houve irregularidade na montagem das notas ficais," afirmou.
Segundo informações, a antiga administração equipou a sala da presidência com móveis novos, frigobar. Além disso, adquiriu equipamentos eletrônicos como computadores e notebook, copiadora, trocou o sistema de iluminação da Câmara, e autorizou a ornamentação do Plenário Legislativo no dia da posse dos sete vereadores diplomados pela justiça e Toinzinho Alvarenga (que assumiu a prefeitura por alguns dias com a cassação do prefeito Marco Túlio Miguel/PSDB, que no mês seguinte foi reconduzido ao cargo por medida cautelar). Para Luiz Libério, um procedimento normal. "As dívidas são da Casa, portanto, é natural que seus sucessores paguem," finalizou
Compartilhar on Google Plus

About Pr joão Monteiro


sou Bispo da igreja batista ebenezer!!!!!  em universidade:

Teologia casado com Rosangela Monteiro treis filhos 

lindos  estor na  obra Missionaria


0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado Pela Sua Visita

13/01/2015

Polêmica na Câmara de Campo Belo/MG

Comissão será instaurada para averiguar a veracidade de notas pagas por Rosângela Kasaca (PSDB)
De acordo com o Presidente, há um "ponto de interrogação" em 3 notas pagas por sua antecessora. Rosângela teria arcado com compromissos dos ex-presidentes Hélio Donizetti Mendes (PSB) e Fátima Salume Mati (PT). Por isso a comissão de inquérito para averiguar a atitude da gestora.
Por: Kelly Cristina
Rosângela Sousa de Oliveira iniciou 2015 sendo acusada de supostas irregularidades em seu curto mandato na Câmara Municipal de Campo Belo/MG. Embora tenha ficado apenas 2 meses no cargo como Coordenadora de Despesas, alguns pagamentos efetuados pela legisladora têm causado polêmica. Luiz Libério dos Santos (PSC), atual presidente da Casa, declarou que ao assumir o cargo deparou-se com três notas questionáveis pagas pela antecessora no fim de 2014 para fechar o caixa. As notas se referem à supermercado, prestação de serviços eletrônicos e papelaria (em torno de R$ 1.200 à R$ 1.300, cada). De acordo com ele, as dívidas em questão não teriam sido contraídas por Rosângela, e sim, pelo vereador Hélio Donizetti Mendes (PSB). Luiz Libério ainda confirmou que a colega também pagou dívidas contraídas por Fátima Salume (PT) que foi obrigada a deixar o cargo por ordem judicial que anulou sua eleição.
Foi neste intervalo que Rosângela Kasaca assumiu o comando, pois ela era Secretária da antiga mesa composta em 2013. Pela Lei Orgânica e Regimento Interno o cargo era dela. Luiz Libério acredita que Kasaca não o fez por má fé, apenas assumiu compromissos do ex-presidente Hélio Donizetti que não foram pagos por Fátima Salume e depois foi retirada do cargo por ordem judicial e obrigada a entregá-lo à Rosângela.
Luiz declarou ainda que diante dos fatos um procedimento mais rígido deverá ser tomado. "Pelo questionamento público em relação à veracidade dessas notas, instauraremos uma comissão de inquérito para apurar o caso na forma da lei," assegurou o chefe do Legislativo.
O departamento jurídico da casa está montando um requerimento que deve ser assinado por 5 vereadores, e criada a Comissão. "A comissão terá como função investigar se houve irregularidade na montagem das notas ficais," afirmou.
Segundo informações, a antiga administração equipou a sala da presidência com móveis novos, frigobar. Além disso, adquiriu equipamentos eletrônicos como computadores e notebook, copiadora, trocou o sistema de iluminação da Câmara, e autorizou a ornamentação do Plenário Legislativo no dia da posse dos sete vereadores diplomados pela justiça e Toinzinho Alvarenga (que assumiu a prefeitura por alguns dias com a cassação do prefeito Marco Túlio Miguel/PSDB, que no mês seguinte foi reconduzido ao cargo por medida cautelar). Para Luiz Libério, um procedimento normal. "As dívidas são da Casa, portanto, é natural que seus sucessores paguem," finalizou

Nenhum comentário:

Postar um comentário